Sangha Virtual

 Estudos Budistas

Tradićčo do Ven. Thich Nhat Hanh

 

Abraćando as sementes negativas

 

O Buda te chama de volta para si mesmo para cuidar da sua situaćčo interna. A consciźncia mental é como a sala de estar, e a consciźncia armazenadora é como o porčo - colocamos as coisas que nčo gostamos lá embaixo. Mas as formaćões internas sempre tentam emergir. Elas nčo precisam ser convidadas para a sala de estar, apenas empurram a porta aberta, entram e se estabelecem.

 

Quando a nossa sala de estar nčo parece arrumada e bonita, sofremos. Trancamos a porta, praticamos a supressčo. Nós nčo queremos que esses nós surjam. Convidamos outros convidados a entrar na sala para que cada minuto de nossa vida seja preenchido com jornais, romances, revistas, televisčo, conversas e telefone. Fazemos de tudo para manter a sala ocupada, para que as coisas desagradáveis __nčo aparećam. A maioria de nós faz isso porque temos medo de nós mesmos. Existem muitas desvantagens nesse comportamento.

 

A primeira desvantagem é que os convidados causam mais danos ą base do nosso ser. Nós consumimos toxinas diariamente. Entretemos as toxinas em nossa consciźncia mental por uma hora, assim também estamos nutrindo nossas formaćões internas em nossa consciźncia armazenadora. Uma hora de televisčo alimenta as sementes do medo, do desejo e do desespero em nossa consciźncia. Este é o processo de autointoxicaćčo. Também permitimos que nossos filhos fiquem intoxicados com a televisčo por várias horas por dia. Temos que praticar o consumo consciente da televisčo.

 

(…)

 

A segunda desvantagem de manter nossa consciźncia mental ocupada por coisas prejudiciais é que criamos má circulaćčo em nossa psique. Como o nosso sangue, nossa psique deve circular corretamente. Se a nossa circulaćčo sanguínea é fraca, entčo sintomas de doenćas aparecem. Se nos massagearmos, nosso sangue flui melhor. O ponto mais doloroso do nosso corpo precisa ser mais massageado, porque contém mais toxinas.

 

Da mesma forma, precisamos massagear os pontos de dor e sofrimento em nossa psique. Ao buscar a distraćčo, fazemos o oposto e impedimos o sangue da psique de circular. Nós nčo queremos que nossos blocos de sofrimento aparećam. Quando a psique está bloqueada e tem má circulaćčo, surgem sintomas de doenća mental. Temos que fazer algo para restaurar a boa circulaćčo em nossa psique. Precisamos abrir a porta para que a dor e a tristeza que tememos possam circular. É por isso que o Buda nos ensina a cultivar a energia da atenćčo plena para que estejamos prontos para abraćar nossa dor quando ela emergir.

 

Quando as sementes de ódio, raiva ou violźncia emergem, elas se manifestam como formaćões mentais. A consciźncia mental é o lar de formaćões mentais. Quando permitimos que nossa energia negativa apareća, estamos prontos para tocar nossas sementes de entendimento, despertar e atenćčo plena. Nós as convidamos para a superfície para que elas possam nos ajudar a cuidar da nossa dor. É por isso que a prática diária da atenćčo plena é tčo importante. Precisamos dessa energia positiva para nos ajudar a abraćar nossa dor.

 

Se a sua energia da atenćčo plena nčo for forte o suficiente para abraćar a sua energia negativa, peća a alguém para se sentar perto de vocź e emprestar sua atenćčo plena, de modo que, juntos, vocź seja forte o suficiente para abraćar os sentimentos. Pegue a mčo de seu amigo, seu filho, sua filha ou de seu parceiro. Respire com ele, gerando a energia da atenćčo plena. Ajude-o a abraćar a raiva ou desespero dele.

 

Durante este processo de abraćar e reconhecer, a energia da atenćčo comećará a penetrar na energia negativa. Esta é uma prática linda. Vocź cuida do seu sofrimento e ajuda o seu amado a cuidar do sofrimento dele. As famílias devem fazer isso com frequźncia. Isso é meditaćčo. A meditaćčo nčo é apenas estar sentado em silźncio no salčo de meditaćčo.

 

A atenćčo plena é como a luz do sol. De manhč, a tulipa ainda nčo está aberta. O sol nasce e comeća a iluminar a tulipa. A luz é feita de pequenas partículas chamadas fótons. Quando a luz do sol abraća a flor, os fótons tentam penetrar na flor. Se o sol continuar a brilhar por algumas horas, haverá energia suficiente para a flor abrir seu coraćčo para o sol.

 

Nós deixamos nossa atenćčo terna abraćar nossa raiva, como uma mče abraća seu bebź que sofre. Nós dizemos: "Estou aqui. Nčo se preocupe, eu vou cuidar de vocź." Este é o nosso primeiro mantra. ň medida que continuamos a segurar o bebź que sofre em nossos braćos de terna atenćčo plena, a energia da atenćčo plena comeća a penetrar em nossa aflićčo. É como quando uma mče de repente ouve seu bebź chorando. Ela para o que está fazendo, pega o bebź e o segura carinhosamente em seus braćos, sem sequer saber o que há de errado com ele. O bebź pode encontrar algum alívio e parar de chorar apenas por ter sido segurado com ternura.

 

Quando vocź gera a energia da atenćčo plena e abraća sua raiva, mesmo que a raiva ainda esteja presente, vocź encontra algum alívio. A segunda forma de energia comećou a penetrar na primeira. Se a mče continua a segurar seu filho por um tempo, ela é capaz de ver o que está errado com ele. Uma mče é muito habilidosa nessa prática. Com insight, a mče pode facilmente remediar a situaćčo. Se o bebź está com fome, ela lhe dá um pouco de leite. Se sua fralda está muito apertada, ela afrouxa. Se está doente, ela dá o remédio correto. Felicidade e bem-estar sčo os resultados.

 

Enquanto seguramos nosso bloco de dor, encontramos algum alívio. Olhando profundamente para ele, temos algumas ideias sobre a natureza de nossa raiva e aflićčo. Essa percepćčo nos liberta. ňs vezes, nčo conseguimos cem por cento, mas sempre conseguimos até certo ponto. Depois de segurar o bebź que sofre por um tempo e encontrar algum alívio, nosso sofrimento voltará ą nossa consciźncia armazenadora na forma de uma semente. Ele surgirá novamente em algum momento no futuro. Quando emergir, praticaremos da mesma maneira - segurando-o com ternura.

 

Toda vez que fazemos isso, nossa dor e tristeza enfraquecem um pouco mais antes de retornarem ą base. Nós ganhamos alguma confianća, sabendo que temos a capacidade de segurar e cuidar da nossa tristeza. Isso é maravilhoso.

 

(Do livro “The Path of Emancipation”– Thich Nhat Hanh)

(Traduzido por Leonardo Dobbin)

Comente esse texto em http://sangavirtual.blogspot.com

 

 

Caso queira obter esse texto em formato PDF clique aqui