Sangha Virtual

 Estudos Budistas

Tradićčo do Ven. Thich Nhat Hanh

 

Eu te entendo o suficiente?

 

Se vocź quiser fazer alguém feliz, pergunte: "Eu o entendo o suficiente?" "Eu a entendo o suficiente?" Muitas pessoas relutam em falar porque temem que o que dizem seja mal entendido. Há pessoas que sofrem muito; elas nčo sčo capazes de nos falar sobre o seu sofrimento interno. E temos a impressčo de que nada está errado - até que seja tarde demais.

 

Esperar tem sérias consequźncias. As pessoas podem se isolar, podem acabar de repente com uma amizade ou relacionamento, e podem até cometer suicídio. Algo incomodava aquela pessoa há muito tempo, mas ele ou ela fingia que tudo estava bem. Talvez medo ou orgulho atrapalhe. Ouvindo e olhando com atenćčo plena e concentraćčo, podemos descobrir que há um bloco de sofrimento nessa pessoa. Vemos que ela sofreu muito e nčo sabe lidar com o sofrimento interior. Entčo ela continua sofrendo e fazendo outras pessoas sofrerem também. Uma vez que vocź viu isso, de repente sua raiva nčo está mais presente. A compaixčo surge. Vocź tem o insight de que ela está sofrendo e precisa de ajuda, nčo de punićčo.

 

Se precisar, vocź pode pedir ajuda. Vocź pode dizer: "Querido, eu quero te entender mais. Quero entender suas dificuldades e seu sofrimento. Eu quero ouvir vocź porque quero amar vocź". Quando gastamos um tempo para olhar mais profundamente, podemos ver pela primeira vez o grande bloco de sofrimento naquela pessoa. Alguém pode fingir que nčo sofre, mas isso nčo é verdade. Quando vocź é capaz de ouvir com compaixčo, outras pessoas tźm a chance de falar sobre suas dificuldades.

 

Em qualquer relacionamento, vocź pode querer verificar se entendeu a outra pessoa. Se é um relacionamento harmonioso, em que a comunicaćčo é boa, entčo a felicidade está presente. Se a comunicaćčo e a harmonia existem, isso significa que existe compreensčo mútua. Nčo espere até que a outra pessoa tenha rompido o relacionamento ou esteja cheia de raiva para fazer a pergunta importante "Vocź acha que eu te entendo o suficiente?" A outra pessoa dirá se vocź nčo a entendeu o suficiente. Ela saberá se vocź é capaz de ouvir com compaixčo. Vocź pode dizer: "Por favor, me diga, por favor, me ajude. Porque eu sei muito bem que, se eu nčo entender vocź, vou cometer muitos erros". Essa é a linguagem do amor.

 

A pergunta "Vocź acha que eu te entendo o suficiente?" nčo é apenas para relacionamentos romČnticos, mas para amigos, familiares e qualquer um com quem vocź se importe. Pode até ajudar em um ambiente de trabalho. Se vocź mora com um membro da família, um parceiro romČntico ou um amigo, pode pensar que, porque vź essa pessoa todos os dias, sabe muito sobre ela. Mas isso nčo está correto. Vocź sabe apenas um pouco sobre essa pessoa. Vocź pode ter vivido com alguém por cinco, dez ou vinte anos, mas pode nčo ter olhado profundamente para essa pessoa para compreendź-la. Vocź pode ter feito o mesmo com vocź mesmo. Vocź viveu com vocź mesmo toda a sua vida. Achamos que já entendemos quem somos. Mas a menos que tenhamos escutado profundamente a nós mesmos, com compaixčo e curiosidade e sem julgamento, podemos nčo nos conhecer muito bem.

 

Se vocź esperar até que os membros da família morram, será tarde demais para pedir que eles compartilhem mais sobre si mesmos. É bom quando uma crianća de qualquer idade se senta com um pai e pergunta sobre suas experiźncias, sofrimentos e fontes de felicidade. Apenas sente e ouća. Com a respiraćčo atenta e ouvindo a nós mesmos, nossa capacidade de ouvir e olhar se expande profundamente, e podemos encontrar a oportunidade para uma comunicaćčo e conexčo muito maiores com nossos pais e nossos entes queridos.

 

Quando vocź vź que a outra pessoa está sofrendo por dentro, a compaixčo nasce em seu coraćčo. Vocź pode querer fazer algo para ajudar essa pessoa a sofrer menos. Sua escuta compassiva e fala amorosa já farčo muito para mudar a situaćčo. Entčo vocź pode sentar-se com a pessoa e, em conjunto, obter insights sobre quais outras aćões concretas, se houver, sčo necessárias para ajudar a situaćčo. Ouvir com compaixčo nčo é a única coisa que podemos fazer quando alguém está sofrendo, mas é quase sempre o primeiro passo.

 

(Do livro “The Art of Communicating” – Thich Nhat Hanh)

Comente esse texto em http://sangavirtual.blogspot.com

Traduzido por Leonardo Dobbin

Caso queira obter esse texto em formato PDF clique aqui