Práticas

As práticas no budismo são métodos desenvolvidos pelo Buda ou por mestres ao longo dos tempos que nos auxiliam a desenvolver nossa plena consicência, compaixão e entendimento. Thich Nhat Hanh é conhecido por ter renovado o budismo através de uma linguagem moderna que o aproximou do homem do século XX e XXI. Além da linguagem, Thay aliou práticas tradicionais do budismo com novas práticas de plena consciência e, além disso, nos estimula a encontrar novos métodos em que tenhamos alegria.

Buscamos na Sangha praticar diversos desses métodos de forma a desenvolver e manter nossa plena consciência na nossa vida diária.

Principais Práticas

Os Cinco Treinamentos de Plena Consciência: atualização dos cinco preceitos básicos do budismo. Os cinco treinamentos são a base da prática budista e não devem ser considerados como regras. São como a Estrela do Norte que nos aponta o caminho para a paz e estabilidade.

Os Três Refúgios: Uma é a prática de buscar proteção. Desejamos ser protegidos. A vida é cheia de perigos, não sabemos o que nos acontecerá hoje ou amanhã, e por isso temos a sensação de viver na insegurança. Todos temos a necessidade de refúgio, de buscar proteção interior.

Meditação Sentada: Prática básica do budismo. Sentamos relaxados e imóveis e buscamos tomar consicência de nossa respiração. Pode ser praticada em qualquer lugar.

Meditação Caminhando: É a meditação cujo foco é o nosso caminhar. Sincronizamos nossa respiração com nosso caminhar. Produz grande relaxamento.

Relaxamento Profundo: É a meditação na posição deitada. Seguimos nossa respiração enquanto tomamos consciência das partes de nosso corpo.

Tocando a Terra: nos ajuda a retornar para a Terra e nossas raízes, e reconhecer que não estamos sozinhos, mas conectados a uma corrente inteira de ancestrais de sangue e espirituais. Tocamos a Terra para deixar ir a idéia que estamos separados e para nos lembrar que somos a Terra e parte da Vida.

Comendo em Plena Atenção: Deveríamos estar presentes em cada refeição. Se alimentar em silêncio, mastigando devagar, várias vezes e plenamente atentos da comida que comemos torna a comida real e ficamos conscientes dos seus nutrientes

Musicas em Plena Atenção: Nessa tradição cantamos muito, e nossas canções sempre refletem a alegria da prática do Dharma.